Pauladas, Constitucionalidades, Malucos e Horário de Verão

Pauladas – Semana passada, Michel Miguel Elias Temer Lulia levou duas pauladas capazes de desacoroçoar um cidadão. Quinta-feira, 21 de setembro, recebeu em palácio a visita de Valdemar da Costa Neto. Não faço ao leitor deste belo blogue a descortesia de recordar quem é o neto de Valdemar Costa.

Sobrevivendo à visita, Michel Miguel teve o dissabor de enfrentar no sábado, 23 de setembro, seu aniversário de 77 anos. É duro, duríssimo, é desumano receber cumprimentos por alcançar 77 anos, sobretudo e principalmente no dia em que o caderno Ela, do Globo, estampou foto colorida de primeira página, com o título “O amor cura”, em que dois rapazes brasileiros, torsos desnudos, se beijam gulosamente.

Valdemar da Costa Neto, aniversário de 77 anos e foto gay ocupando toda a primeira página de um dos cadernos de jornal de circulação nacional, em 48 horas, são pauladas muito piores do que todas as denúncias da Procuradoria-Geral da República, ainda quando incluam as figuras do Angorá e do Fodão.

 

Constitucionalidades – O ministros do STF perderam o seu e tomaram o tempo do telespectador analisando o ensino de religião nas escolas públicas. Ora, bolas, se a escola é pública o ensino só pode ser laico: “que ou aquele que não pertence ao clero nem a uma ordem religiosa”.

Se a família do estudante é religiosa, que trate de procurar escola particular nos conformes de sua crença. Os evangélicos, por exemplo, podem escolher entre o evangelho quadrangular (que tem quatro ângulos) e o circular, aquele que só permite o sexo através de um buraquinho nos lençóis, como recomenda uma igreja de muito sucesso aqui em Juiz de Fora. Sem olvidar, naturalmente, as demais denominações evangélicas. Algo me diz que as escolas do apóstolo Valdomiro só perdem para Harvard e para o M.I.T.

Nas escolas israelitas, o ensino do controle dos auditórios deve fazer parte do currículo para explicar o sucesso de Silvio Santos, nascido Señor Abravanel, de Angélica Ksyvickis Huck e Luciano Grostein Huck, Sérgio Groisman.

Tudo, evidentemente, sem respeitar o besteirol da Constituição de 1988. Aí é que está: se foi estudada, discutida e aprovada pelos parlamentares brasileiros, muitos dos quais ainda vivos e atuantes, a Carta Magna não merece o menor respeito.

 

Malucos – O pior daquilo que Donald J. Trump diz da demência de Kim Jong-um, e o norte-coreano diz da loucura de Trump, é que ambos têm carradas de razão.

 

Horário de Verão – Se o governo atual acabar com o Horário de Verão será lembrado pelas pessoas esclarecidas nas próximas gerações. Horário de Verão funciona em diversos países, mas no Brasil é macaquice.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *