Palhaçada

Palhaçada – Abril vem aí e, como ele, o dia 21, quando se realiza na cidade de Ouro Preto, antiga capital das Minas Gerais, a outorga de colares, medalhas, condecorações da Inconfidência Mineira, feriado nacional.

Cidade em festa, Dragões fardados desfilando desengonçados pelo calçamento irregular. Residindo há muitos anos em cidade de porte médio, não conheço um só bandido que não tenha sido agraciado em Ouro Preto. Dou notícia do fato pela imprensa escrita, em matérias assinadas, há mais de 30 anos. É claro que muita gente boa foi agraciada – gente que se deixou embair na inocência dos puros – mas sou capaz de apostar que não rivalizam em número com os maus.

No país que aí está, Marcola e Fernandinho Beira-Mar merecem a Comenda Extraordinária. Os cadernos escolares de Fernandinho atestam que sempre foi aluno dos mais aplicados, e Marcola, apelido de Marcos Willians Herbas Camacho, líder da organização criminosa Primeiro Comando da Capital, o PCC, nascido em Osasco, DP, no dia 13 de abril de 1968, já leu quatro mil livros.

Pelo andar da carruagem, no sábado 21 de abril de 2018 teremos em Ouro Preto o governador Fernando Damata Pimentel distribuindo condecorações a mancheias. Pesam sobre o filho de dona Geralda Damata Pimentel acusações gravíssimas, que não impediram sua eleição para o governo do estado. O país não é sério e a outorga de medalhas em Ouro Preto envergonha o continente, o hemisfério, o planeta.