Confissão

Confissão – Se ainda me dedicasse à libação diária acho que hoje, quarta-feira 4 de abril de 2018, compraria duas ou três garrafas de champanhe para assistir, através do televisor doméstico, ao espetáculo brasiliense.

Nele, 11 ilibados ministros, escolhidos pelos ilibados Fernando Collor, Lula da Silva e Dilma Rousseff, aprovados pelo Senado de ilibados senadores como Renan Calheiros, Romero Jucá, Gleisi Hoffmann, Humberto Costa e tantos outros representantes desta ilibação que tem hino, bandeira e constituição cidadã, estarão trabalhando ao vivo e em cores.

Anteontem, 2 de abril, em Brasília milhares de pessoas recorreram ao verbo evacuar, em nosso idioma desde o século XV, por conta de um terremoto ocorrido na Bolívia. Evacuaram construções que acusaram, no DF, o sismo boliviano.

Resta-nos aguardar, ao vivo e em cores, o resultado da votação dos ilibados ministros do Supremo Tribunal Federal. Quanto ao champanhe, serviria para afogar as mágoas diante das atuais votações dos ilibados.