Triscaidecafobia

Triscaidecafobia – O grego conheceu spêlugks,uggos, emprestado ao latim spelunca,ae ‘caverna, antro, gruta, cova’ para chegar ao português no século XV como substantivo feminino de uso pejorativo significando caverna, cova, furna, cavidade profunda no solo, cova de animais, esconderijo de bandidos, covil, antro, habitação cheia de sujeira, em desordem, escura, qualquer lugar sem asseio, mal frequentado, baiuca, casa de jogo de baixa categoria, geralmente clandestina.

Palavra que vem à balha diante da aventura de 12 meninos tailandeses, que se meteram com seu instrutor de futebol numa espelunca situada quase na fronteira com o Laos e com Mianmar. Uma tempestade entupiu de lama o acesso à caverna, a turma levou dias para ser localizada por espeleólogos enviados do mundo inteiro e a previsão é que a retirada do grupo demore semanas ou meses.

Um técnico e 12 atletas resultam noutra palavrinha difícil, triscaidecafobia, medo irracional e incomum do número 13. O medo específico da sexta-feira 13 é chamado de parascavedecatriafobia ou frigatriscaidecafobia.

Devo admitir que nunca simpatizei com o 13 e sempre tive receio da sexta-feira 13. No Rio do século e do milênio passados meti-me numa briga noturna, como passageiro do carro de um colega de trabalho, que só não terminou em mortos e feridos porque um cavalheiro do carro “adversário”, apelidado Vermelho, cavalheiro de mais de 1,90m, lutador profissional, “contemporizou” a situação com pena dos bêbados do nosso lado. E tudo terminou entre muita cerveja num só botequim.

De outra feita, numa sexta-feira 13, devendo os olhos da cara, encontrei numa rua de Pedro do Rio, RJ, um sujeito que me reconheceu, perguntou pelos tourinhos à venda, comprou dois à vista para escolher depois e fez o cheque, ali mesmo, apoiando o talão sobre o capô de um carro estacionado.

Voltei para a fazenda convencido de que a frigatriscaidecafobia é uma tolice e assim pensei até depois do jantar, quando recebi telefonema do tal sujeito dizendo que tinha desistido da compra e me pedindo para rasgar o cheque.