Melting Pot

Melting Pot – Justo, compreensível e louvável, assaz louvável, o entusiasmo do brasileiro pela seleção nacional. Nenhum outro país tem um melting pot, um cadinho igual ao nosso.

Nossos índios sempre foram os melhores das Américas. Maias, Incas & outros nunca chegaram aos pés dos nossos irmãos silvícolas. Recebemos o que havia de melhor no continente africano, rapazes e moças capturados pelos sobas e vendidos como escravos aos intermediários europeus, que os traziam para o Brasil.

Soba, soma ou sova, como você deve estar lembrado, é o chefe de povo ou de pequeno Estado africano, especialmente na costa ocidental. Os europeus, com aquelas roupas e aquelas botas, não tinham condições de correr atrás dos rapazes e das moças africanos, daí a necessidade de adquiri-los dos sobas.

E da Europa, minha gente, só nos chegou o que havia de melhor. Nunca, jamais, em tempo algum, a colônia foi considerada local de degredo do pior grau ou recebeu ladrões que roubavam bolsas em Lisboa.

Assim, os melhores portugueses, os melhores africanos e a fina flor dos índios das América cresceram e se multiplicaram para formar este lindo povo, uniforme, pacífico, ordeiro, estudioso, povo que espanta e encanta o planeta pelo baixíssimo nível de violência nas cidades e nos campos, bem como pela habilidade no futebol.