Pinceladas

Pinceladas – Pior que a falta de assuntos, só mesmo o excesso deles. De sexta até hoje, domingo, foram tantas notícias nas mais diversas áreas que resolvi ficar calado esperando o poeira baixar.

Ontem (ou anteontem?) comecei o dia assistindo a uma entrevista do Eduardo Giannetti ao onipresente Roberto D’Avila. Mineiro de Belo Horizonte, 61 anos, Eduardo Giannetti da Fonseca é geralmente considerado um robustíssimo talento, mas, porém, todavia, contudo andou assessorando e fazendo planos de governo para a senhora Marina Silva, aliás Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, nascida Maria Osmarina da Silva.

A partir daquela assessoria, Giannetti passou a contar com em seu currículo com o título de ex-assessor da senhora Marina Silva, aliás Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, nascida Maria Osmarina da Silva.

Ele e o entrevistador D’Avila andavam muito risonhos e concordaram em que a miscigenação é o maior e mais abençoado trunfo deste país grande e bobo. Miscigenação ou mestiçagem, ação ou efeito de miscigenar(-se): processo ou resultado de misturar raças, pelo casamento ou coabitação de um homem e uma mulher de etnias diferentes.

Nosso belo Houaiss foi ultrapassado pelos fatos. Coabitação “de um homem e uma mulher” foi ultrapassada pela união homossexual e as variações que temos visto por aí, todas muito elogiadas pela mídia como exemplo de justiça, de modernidade, de lógica.

Enquanto isso, conseguiram resgatar quatro dos doze meninos tailandeses presos numa caverna, ótima notícia, e um desembargador petista mandou soltar Lula da Silva, antes de um desembargador honesto impedir a ordem que contrariava decisão do TRF-4.

Cês querem saber de uma coisa? Passou a hora do meu almoço e do charuto de domingo, miscigenação pede livro que não vou escrever, motivo pelo qual, alegre com a vitória da Ferrari em Silverstone peço licença para cair fora do computador.