Google

Google – Humberto Werneck comentou a locução “a três e um ferro” usada na Diamantina dos meus avós maternos para comentar a bebedeira de alguém. Os diamantinenses tinham coisas originais em matéria de alcoóis. Conheci muitos que só tomavam cerveja sem passar pela geladeira, providência que deve ser ótima ao norte da Noruega e na Sibéria, mas não tem cabimento no frio educado de Diamantina.

Li a crônica do Humberto pouco depois das sete da matina de terça-feira, 24 de julho, e fui ao Google para ver se trazia “a três e um ferro” nos textos de outros autores. Pois muito bem: a crônica do Humberto já estava no Google.

Como funciona o processo de captação dos textos? Parece que o Google existe no mundo inteiro. É um fenômeno que me intriga e encuca. A empresa foi fundada ainda outro dia, em 1998, tem 20 anos e é o fenômeno assombroso que se vê.

Tão assombroso quanto o noticiário televisivo de quarta-feira, 25 de julho de 2018. Os senhores editores das nossas tevês capricham no obituário e servem ao telespectador uma sopa de mortos e desaparecidos que vai dos incêndios florestais na Grécia e noutras regiões da Europa chegando ao círculo polar ártico (!!!), de cambulhada com as mortes no Laos e na Nicarágua, noves fora muitas outras no resto do planeta.

Por especial gentileza dos editores, os telejornais de quarta-feira cedo não falaram das chacinas de Manaus, Porto Alegre e outras cidades brasileiras, mas enriqueceram a relação de moças e senhoras mortas em procedimentos estéticos, com os nomes, endereços, idades, profissões.

Se as moças e as senhoras soubessem como os peitinhos pequenos e as bundinhas educadas são do aprazimento de homens seriíssimos, os tais procedimentos estéticos seriam reduzidos a zero.

E a cereja do bolo de quarta-feira foi a notícia de que o Doutor Bumbum trabalhou no Palácio do Planalto durante um dos governos petistas. Se estiver solto, será brilhante secretário de Saúde da administração Márcia Tiburi no governo do Rio de Janeiro. Afinal, a “filósofa” Tiburi é autoridade no buraco central do bumbum.