Eleitorado

Eleitorado – A GloboNews parece convencida ou tenta convencer seus assinantes de que as entrevistas que vem promovendo possam interferir no resultado das eleições de outubro. Pré-candidatos e candidatos à presidência da República, a partir das dez e meia da noite, são entrevistados durante duas horas pelos comentaristas políticos daquele canal.

Quantos eleitores têm tevê paga? Deles, quantos podem ficar acordados até depois de meia-noite assistindo (e analisando…) às entrevistas? Por via de consequência, como dizia meu saudoso confrade Aureliano Chaves, o resultado eleitoral da série de entrevistas deve ser próximo de zero.

Democracia também começa por demo, substantivo masculino (datação 1210) “espírito maligno, demônio, diabo”. Demo (datação 1899) “conjunto de indivíduos vivendo coletivamente; povo, população”, quando existe apresenta resultados pouco animadores. Que se pode esperar da democracia no Zimbábue? Nossos analistas televisivos, anunciando as recentes eleições por lá, se esqueceram de dizer que o Zimbábue, quando se chamava Rodésia do Sul como colônia inglesa, foi “o celeiro da África”.

Você, caro e preclaro leitor, acredita no eleitorado brasileiro? Não somos zimbabuenses, mas elegemos Dilma Vana Rousseff. E o Congresso que aí está, Câmara e Senado. E o prefeito de Japeri, RJ. E vamos eleger a corja que vem por aí a partir de outubro, igual ou pior que a atual.