Sociedade

Sociedade – Coluna social do Estadão, 3 de agosto: foto de Lucília Diniz e Luiz Trabuco na sessão especial para convidados de “O Fantasma da Ópera”.

Lucília, 62 anos, três ex-maridos, filhos e netos, é empresária, escritora, apresentadora, socialite e youtuber especializada em temas de saúde e bem-estar. Trabuco, 66 anos, preside o Conselho de Administração do Bradesco.

Pela foto estão de cacho. Ela ainda palatável, ele sem cabelos brancos, devem estar aprontando, no que obram muitíssimo bem. 

Da família (ou famiglia?) Diniz, Grupo Pão de Açúcar, Lucília sempre foi deslumbrada. Ainda me lembro do vídeo feito em uma de suas fazendas durante o almoço ao ar livre com o marido plantonista, sujeito gordo, cara de bobo. Espetáculo constrangedor.

Conheci Luiz Carlos Trabuco Cappi há muitos anos, quando ele presidia a arapuca Bradesco Seguros, no almoço paulistano de um amigo comum, lobista, que operava na administração daquele banco. Lá estavam o Márcio Cypriano, então presidente do Bradesco, dois ministros de Estado e mais um monte de gente com champanha a rodo, uísques do primeiro time, charutos de Havana.

Claro que tomei um porre antológico, que me levou à varanda baixa, quase ao rés do gramado interno de um condomínio de alto luxo. Lá encontrei Luiz Carlos Trabuco Cappi, num porre maior que o meu, declamando poesias e chorando feito bezerro desmamado.

Banqueiro chorando ao declamar texto poético é cena incomum ao sul e ao norte do Equador. Desejo ab imo pectore, o que significa dizer “sinceramente”, que Luiz ame Lucília sem porres e prantos, alegremente, como idosos ajuizados.

Aproveitando a notícia que vi ontem na tevê, tão importante que merece caixa-alta: O BRASIL JÁ TEM 60 MILHÕES DE GAMERS. Com 60 milhões de gamers, o Brasil está dispensado de ter rodovias, segurança, ferrovias, hospitais, escolas, honestidade e competência na administração pública.