Eufemismo

Eufemismo – Eufemismo é palavra, locução ou acepção mais agradável, de que se lança mão para suavizar ou minimizar o peso conotador de outra palavra, locução ou acepção menos agradável, mais grosseira ou mesmo tabuística.

Pensando nisso, por volta de 1970 os eufemistas inventaram o substantivo masculino andropausa – conjunto de alterações fisiológicas que marcam a diminuição natural e progressiva da atividade sexual do homem – para evitar o verbo brochar, regionalismo brasileiro que significa perder temporária ou definitivamente a capacidade de ter uma ereção. Brochadinhas eventuais “fazem parte”. Duro, mesmo, é quando fica mole per omnia saecula saeculorum…

Impende notar que Houaiss e Aurélio não se entendem sobre o desagradável assunto, considerando que o Aurélio abona broxa com xis. E agora os cientistas vêm de constatar o óbvio: a andropausa conduz a quadros depressivos. Queriam o quê? Alegria brochante? Festança do broxa?

Assunto que nos remete a um economista que hoje dirige grande clube paulista, foi professor do ITA, deve beirar os 70, de família judaica, cidadão feio pra dedéu, que diz: “Eu tive casamentos satisfatórios com mulheres maravilhosas, tenho filhas lindas, netos incríveis, ganhei dinheiro”.

Pois muito bem: os fados me permitiram acompanhar em Belo Horizonte um seminário promovido por publicação em que trabalhei. Palestrantes: Delfim Neto, Villas-Bôas Corrêa e o citado economista.

Delfim pediu 20 mil reais (doados a um instituto liberal) e passagem São Paulo-BH-Brasília no mesmo dia, sem pernoite em BH. Villas-Bôas Corrêa pediu sete mil reais, passagens Rio-BH-Rio para ele e a mulher sem reserva de hotel, pois ficaria em casa de parentes, e o economista pediu 11 mil reais, quatro passagens SP-BH-SP e a reserva de uma suíte de hotel para quatro pessoas…

Aí é que vem o melhor da festa. O economista trouxe três jovens companheiras, dormiu com elas numa suíte do BH-Othon Palace, fez a palestra e voltou com a trinca para São Paulo. Tem todo o direito de ficar deprimido quando pensar na inevitabilidade de sua andropausa.