Eleições

Eleições – O blog de ontem beirou as 400 palavras, motivo pelo qual deixei de comentar a “obra de arte” estampada no segundo caderno do Globo de sexta-feira, um negócio colorido de 17 por 19 centímetros na foto, que deve expressar, no campo artístico, a puta que pariu seu autor, sem prejuízo das putas que pariram aqueles que divulgam a obra.

Mas o nosso assunto de hoje é eleitoral, depois que o Estadão informou os números da bancada evangélica na Câmara Federal: 182 deputados. Quando se reúnem, suas excelências abrem as mãos, fecham os olhos e pensam nos lucros pingando nos cofres de suas empresas isentas do pagamento de imposto de renda. Dá para imaginar o número de evangélicos eleitos nas próximas eleições.

O sofrido Estado do Rio de Janeiro, por exemplo, já tem uma lista de candidatos ao governo de fazer inveja aos melhores quadros do Zimbábue. Eduardo Paes (DEM), Romário (Podemos), Anthony Garotinho (PRP), Índio da Costa (PSD), Tarcísio Motta (PSOL), Márcia Tiburi (PT), Marcelo Trindade (Novo), Pedro Fernandes (PDT), Wilson Witzel (PSC) e Dayse Oliveira (PSTU).

Um time à altura dos governadores que infelicitaram aquele estado, não todos, é verdade, mas a esmagadora maioria. A candidata do PT é a gaúcha Márcia Angelita Tiburi, artista plástica, professora de Filosofia, escritora de 48 anos, casada com o magistrado Rubens Roberto Rebello Casara. Ela mesma, a senhora que filosofou sobre o ânus numa de suas palestras. Se eleita, pode convidar o Doutor Bumbum para secretário de Saúde do RJ. Alfim e ao cabo, o ânus faz parte do bumbum.

E assim passamos pelo Dia dos Pais, quando, de supetão, me fotografaram para veiculação num WhatsApp familial. Brequei a divulgação da foto pela falta de informações sobre o focalizado como é moda por aí. O certo seria dizer: Eduardo veste camisa Klus, casaco Hering, bermuda Theslo, fuma um Cohiba usa isqueiro Baide e relógio Thommy Hilfiger. Aí, sim, a foto poderia ser divulgada.